Medidas para reabertura de consultórios após a crise

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O serviço médico e hospitalar, público ou privado, é considerado um serviço essencial e foi mantido em funcionamento durante a pandemia. Como a maioria dos profissionais da saúde já voltaram a ativa, resolvemos fazer este post para orientá-los sobre as medidas de segurança que devem ser adotadas neste momento delicado.

medidas de reabertura de consultórios

Medidas de reabertura de consultórios

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que integra o Centro de Operações de Emergência (COE) – Coronavírus instituído pelo Ministério da Saúde, editou a Nota Técnica nº 4/2020 com medidas de prevenção e controle de infecção que devem ser implementadas pelos profissionais que atuam nos serviços de saúde, para evitar ou reduzir ao máximo a transmissão do coronavírus. 

Leia as principais medidas para reabertura de consultórios que devem ser implementadas: 

Dentro do consultório: 

“A Secretaria de Saúde determina que deve haver distanciamento mínimo 1,5 metro entre profissionais, colaboradores, pacientes e acompanhantes. Para profissionais que precisem de maior aproximação, seja para exame clínico ou realização de procedimentos, as medidas de biossegurança devem ser redobradas. 

O horário de atendimento deve ser escalonado para evitar aglomerações, sendo permitidos até dois pacientes por hora nas etapas iniciais do cronograma. Em caso de necessidade inevitável, há autorização para um acompanhante por paciente.

Para as empresas com mais de 20 funcionários, além da sintomatologia, o governo estadual determina agora que a temperatura dos trabalhadores seja medida diariamente, por meio de termômetro infravermelho que evita o contato direto. O uso de máscaras durante o expediente também faz parte do protocolo, assim como a higienização constante de superfícies como maçanetas, mesas e teclados.” 

Fonte: https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2020/06/10/clinicas-laboratorios-e-consultorios-reabrem-com-medidas-para-evitar-transmissao-do-novo-coronavirus.ghtml

É necessário que o estabelecimento tenha condições para higienização das mãos: lavatório/pia com dispensador de sabonete líquido, suporte com papel toalha, lixeira com tampa e abertura sem contato manual.

Como já sabemos, também é imprescindível que o estabelecimento disponibilize álcool em gel ou solução 70%, para a higiene das mãos, quando o paciente chegar ao consultório e também nas salas de espera.

No agendamento da consulta: 

Questione se os pacientes apresentam algum sintoma de infecção respiratória (tosse, coriza, dificuldade de respirar) e oriente, caso seja possível, o adiamento da consulta após a melhora dos sintomas. 

Uma dica legal é fazer um formulário sobre os sintomas, ou se o paciente teve contato com alguém que possa ter contraído o coronavírus para registro e segurança do consultório. 

Aproveite também para informar o paciente sobre as medidas de segurança que o consultório adotou para possibilitar o atendimento dele. 

Por exemplo, “evite trazer acompanhantes à consulta”, “siga as regras de etiqueta de tosse”, “ao entrar no consultório, lave as mãos, higienize com álcool em gel e depois dirija-se ao balcão para ser atendido”, etc. 

Durante a consulta: 

Não é novidade, mas é importante ressaltar: Utilize a máscara e, se possível, o protetor facial para a sua segurança e do paciente. No final da consulta, realize a limpeza e desinfecção de equipamentos e produtos que tenham sido utilizados na assistência ao paciente.

Se houver necessidade de encaminhamento do paciente para outro serviço de saúde, notifique previamente o serviço referenciado.

Caso você identifique algum paciente sintomático no consultório: 

Durante todo o atendimento de pacientes sintomáticos, o consultório deve fornecer logo na entrada uma máscara cirúrgica ao paciente. Além disso, o consultório precisa ter um espaço isolado e bem ventilado enquanto eles esperam pela consulta. Também é importante que eles tenham fácil acesso a suprimentos de higiene respiratória e higiene das mãos. 

Estas medidas devem ser implementadas em diversos momentos nos consultórios: antes da chegada do paciente, na chegada, triagem, espera, atendimento e durante toda sua assistência.

Mesmo com estas orientações da ANVISA, os profissionais da saúde também estão livres para determinar outros tipos de ações de prevenção caso julguem necessário. 

É importante ressaltar que pacientes, profissionais de saúde e colaboradores precisam se adequar aos protocolos de segurança para evitar a transmissão do novo coronavírus. Durante exames, consultas e demais procedimentos, o reforço da higienização é uma das práticas obrigatórias. 

Aproveite e leia também o nosso artigo “Qual é o procedimento para casos suspeitos de Coronavírus na clínica ou consultório?”

Acompanhe o nosso blog e redes sociais para mais dicas e novidades! 

Facebook

Instagram

Linkedin

Share.

About Author

Deixe sua opinião :)

%d blogueiros gostam disto: