Imposto de Renda para Profissionais da Saúde: o que você precisa saber

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Veja tudo o que você precisa saber para fazer a declaração do Imposto de Renda em 2021

Todo começo de ano é o momento de se organizar para fazer a declaração do Imposto de Renda – e os profissionais da saúde não ficam de fora! É extremamente importante que o profissional autônomo ou não, preste contas à Receita Federal sobre os seus rendimentos.

 

imposto de renda para profissionais da saúde

Imposto de renda para profissionais da saúde

A diferença entre DIRF e IRPF 

DIRF: Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte – é realizada pela fonte pagadora. 

IRPF: Imposto de Renda da Pessoa Física

A DIRF serve principalmente como uma fiscalização da Receita Federal para cruzar as informações declaradas na DIRF e IRFP para verificar se há sonegação de impostos. 

Para realizar este processo, você deve reunir todas as informações contábeis do seu consultório ou clínica referentes ao ano anterior, neste caso 2020. Todas as suas receitas e despesas devem ser incluídas neste material. 

E como você é um profissional da saúde, você também precisa se atentar às exigências do Fisco, para que não caia em “malha fina” – declaração retirada por valor incorreto, rendimento omitido, informações cadastrais erradas ou possível fraude. 

Todos os profissionais que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 durante o ano de 2020, como salários, honorários, férias, comissões, pró-labore, receita com aluguel de imóveis, pensões, entre outros, precisam declarar o Imposto de Renda. 

Como declarar o IRPF 2021?

1. Reúna todas as suas documentações: separe os seus informes de rendimentos (do trabalho, de contas bancárias ou investimentos), documentos pessoais, comprovante de residência e comprovantes de pagamentos (despesas).

2. Baixe o aplicativo da Receita Federal: já separou os documentos? Agora é só fazer o download do app da Receita Federal no seu computador ou celular. Feito isso, você pode começar uma declaração do zero, importar dados do ano anterior ou selecionar a opção de declaração pré-preenchida. 

3. Preencha os campos e fichas: agora é o momento de dobrar a sua atenção – preencha todas as informações solicitadas pelo sistema e tome cuidado para não cometer nenhum erro e cair em malha fina. 

Lembre-se: só lance os dados que possuam comprovantes válidos, como notas fiscais e recibos. 

4. Escolha qual tipo de declaração é mais adequada para você: quando você finalizar o preenchimento dos campos, o programa de declaração automaticamente informa ao contribuinte qual modelo é mais vantajoso, colocando quanto ele terá de restituição ou de imposto devido (que necessita ainda ser pago) em cada uma das opções. 

Na modalidade completa, nos seus rendimentos tributáveis serão deduzidos despesas com INSS, saúde, educação e outros. Já na declaração simplificada, estas despesas não são consideradas, tendo a base de cálculo um desconto fixo de 20%, limitado a R$ 16.754,34 total.

5. Finalize o processo: após escolher o seu modelo de declaração, verifique as pendências para garantir que nada fique para trás e emita sua declaração para a Receita Federal. Você poderá imprimir o recibo e salvar uma cópia de segurança do arquivo com a declaração completa, que poderá ser utilizado para importar seus dados na próxima declaração. 

Presto serviços para empresas, como fica no meu caso?

Caso você preste serviços para uma Pessoa Jurídica (empresa), a mesma deverá te enviar um informe de rendimentos. Assim, você pode lançar na declaração o nome e o CNPJ da instituição, o IR retido na fonte e o INSS recolhido pela empresa contratante. O preenchimento é bem parecido com o processo dos assalariados. 😉

IMPORTANTE: A Receita Federal ainda não divulgou o calendário oficial do IRPF 2021 para entrega das declarações e sobre prazos para restituição. A tendência é que volte às datas que eram antes da pandemia.

Algumas regras podem mudar quando se declara valores de serviço realizados para pessoa física e para pessoa jurídica, outras são iguais para todos. Por isso, recomendamos que você converse com um contador para evitar dores de cabeça nesta parte mais burocrática do processo. 

Dica extra: 

Você pode economizar até 40% com impostos utilizando o Split de Pagamento: uma solução que facilita muito os processos de repasse de pagamentos para os seus fornecedores e parceiros. 

Por meio dessa funcionalidade, basta você informar os valores que deverão ser repassados para cada membro envolvido no procedimento e os pagamentos são realizados na conta bancária de cada um deles de maneira rápida, evitando erros operacionais e a bitributação. 

Saiba mais sobre esta solução da Saúde Service escutando o nosso podcast:

Como economizar mais na Declaração de Impostos 😉

E aí, gostou das dicas de hoje? Continue acompanhando o nosso blog! 

Aproveite e leia também: 

Como reduzir impostos no consultório: guia prático sobre o Split de Pagamento

LGPD para consultórios médicos: o que você precisa saber

 

Share.

About Author

Deixe sua opinião :)

%d blogueiros gostam disto: