Aprenda mais sobre a Síndrome de Burnout e como evitá-la

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

burnout

O psicanalista alemão Herbert J. Freudenberger, em meados dos anos 70, denominou como Síndrome de Burnout o distúrbio psíquico causado pela tensão emocional e esgotamento profissional. No meio corporativo atual muito se fala sobre esse tema em palestras e eventos, mas para entendermos a relevância desse assunto, devemos considerar que a Síndrome de Burnout já foi oficializada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como uma doença crônica. Por mais estranho que pareça este paradoxo, os casos mais comuns da doença, ocorrem entre os profissionais da saúde que possuem dupla jornada de trabalho em  atividades que demandam concentração e esforço intenso, entretanto qualquer um pode desenvolver este problema uma vez que o principal gatilho para o estado crônico da doença é provocado por condições de trabalho emocionais, físicas e psicologicamente desgastantes.

Muitas pessoas apresentam estes sintomas de forma bastante sorrateira, ou seja, nem sequer percebem que estão apresentando um quadro patológico que se agrava com o passar do tempo. Estudos apontam que aproximadamente 30% dos mais de 100 mil trabalhadores brasileiros são diagnosticados com Síndrome de Burnout e 70% sofrem de stress, tal estatística coloca nosso país em 2º lugar entre oito países que possuem mais profissionais com Burnout no mundo, perdendo para o Japão, que ocupa a primeira colocação. 

É comum confundirmos essa síndrome com apenas uma crise muito forte de stress mas, na verdade, segundo a pesquisa do ISMA-BR (International Stress Management Association no Brasil) revelou que brasileiros que sofrem de Burnout, atingiram os estágios mais avançados de stress e entre outros sintomas que são características gerais da doença, como:

– Problemas gastrointestinais
– Negatividade latente
– Sensação de derrota e incapacidade
– Alterações de apetite
– Enxaquecas e pressão alta
– Sentimentos de insegurança
– Ceticismo
– Afastamento dos colegas de trabalho e das reuniões de descontração
– Dificuldade na concentração
– Fadiga física e mental
– Insônia

Lembre-se que um dia estressante no trabalho ou um momento desgastante não significa que você possua a síndrome de burnout, é necessário que haja uma ação desse conjunto de sintomas de maneira recorrente. 

sindrome-de-burnout

As causas para este quadro clínico geralmente são: grande volume de trabalho e emergências com curto prazo de tempo para execução, falta de reconhecimento, competitividade desmedida, desavenças com a equipe de trabalho, sentimento de injustiça ou favoritismo em relação aos demais e questionamento dos seus próprios valores. 

Na área da saúde, o aumento de profissionais diagnosticados com Síndrome de Burnout cresce cada vez mais, para comprovar isso foi realizada recentemente uma pesquisa com mais 2.200 profissionais na capital paulista e constatou-se que pelo menos 49% dos pesquisados apresentavam níveis elevados da doença. Para a psicóloga Wilze Bruscato, a incidência de casos de burnout entre os profissionais da saúde é grave e afeta diretamente seu bem-estar físico e psicológico, trazendo consequências no desempenho, produtividade e qualidade dos atendimentos prestados.

Prevenção e Tratamento da síndrome de Burnout

Evitar as crises de stress é a melhor forma de se prevenir, mas sabemos que muitas pessoas possuem dificuldade em administrar suas emoções e controlar esses picos de alteração emocional, para isso preparamos algumas dicas que podem te ajudar:

– Busque ajuda profissional a fim de preservar também sua saúde mental;
– Identifique os limites do seu corpo e mente e evite ultrapassá-los;
– Evite o consumo de cigarros, bebidas alcoólicas e entre outros;
– Estabeleça pequenas metas na sua vida profissional;
– Faça novos cursos, invista em mais conhecimento;
– Permita-se noites de sono saudáveis, com de pelo menos 8 horas de descanso.

relaxing

Os tratamentos são receitados por psiquiatras ou psicólogos, podem ainda ser associados a terapias cognitivas comportamentais e ao uso de medicamentos antidepressivos.
Manter o dia a dia leve diante de uma pesada carga-horária de trabalho não é tarefa fácil, mas procure adicionar atividades físicas, práticas de meditação e outras atitudes que te farão enxergar a vida de forma mais leve e obter equilíbrio suficiente para suportar a dinâmica que sua carreira profissional exige.  Rodear-se de pessoas alegres e otimistas é uma boa forma de manter seu coração e mente protegidos das pressões e insatisfações diárias. 

Busque colocar em prática essas dicas e atente-se não somente a você, mas à equipe do consultório, clínica, hospital que você gerencia ou faz parte. Dessa forma, caso identifique sintomas de Burnout, sejam sinalizados, bem administrados e tratados o mais rápido possível para o bem-estar individual e do time. 

Esperamos que tenha aprendido um pouco mais sobre esse tema. Até breve!

Confira outros posts relacionados:
Aprenda a gerenciar o stress
Dicas para otimizar o seu tempo

Share.

About Author

Deixe sua opinião :)

%d blogueiros gostam disto: